Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Esportes

- Publicada em 17 de Agosto de 2016 às 00:50

Inter deixa a crise de lado e celebra título da Libertadores de 2006 em jogo comemorativo

Ao final do jogo comemorativo, torcida invadiu o campo para comemorar os 10 anos do título

Ao final do jogo comemorativo, torcida invadiu o campo para comemorar os 10 anos do título


Ricardo Duarte/Inter/Divulgação/JC
Melissa Renz
16 de agosto de 2006. Quem é colorado sabe muito bem o que essa data representa. Após uma final emocionante contra o São Paulo, o Internacional entrava no seleto grupo dos campeões da Libertadores da América. O Beira-Rio lotado era o palco da festa, que se estendeu por Porto Alegre e pelo Rio Grande do Sul.
16 de agosto de 2006. Quem é colorado sabe muito bem o que essa data representa. Após uma final emocionante contra o São Paulo, o Internacional entrava no seleto grupo dos campeões da Libertadores da América. O Beira-Rio lotado era o palco da festa, que se estendeu por Porto Alegre e pelo Rio Grande do Sul.
Para reviver a conquista, o ex-meio-campista Paulo César Tinga, autor de um dos gols do título, idealizou o projeto do jogo comemorativo aos 10 anos da conquista da Libertadores da América de 2006, em parceria com o Inter e as empresas TXT Sports and Business e By Tinga.
Apesar da fase atual do Internacional não estar boa a torcida resolveu dar um tempo no presente para recordar um passado vitorioso. O começo do jogo foi marcado pela entrada dos jogadores em um tapete vermelho. O estádio vibrava a cada nome anunciado. Adriano Gabiru o autor do gol que deu o titulo mundial ao Internacional foi um dos nomes mais ovacionados.
De um lado do campo estavam os Heróis de 2006, os jogadores que marcaram o título: Clemer, Ceará, Índio, Bolívar, Fabiano Eller, Jorge Wagner, Tinga, Perdigão, Alex, Rafael Sobis, Iarley, Rentería, e Adriano Gabiru. E do outro lado os craques colorados que fizeram história no clube como Valdomiro, Dadá Maravilha, Jair, Aloísio, Pinga, Dunga, Mauro Galvão, Fabiano, Maurício, Cléo Hickmann, Amarildo, Nílson, Christian, Martin Hidalgo, Kléber e Magrão.
O momento emocionante ficou por conta da entrada de Enzo, filho de Fernandão, o eterno camisa 9, que morreu em junho de 2014 em um acidente aéreo no interior de Goiás. Enzo recebeu a braçadeira de capitão pelas mãos do ex-técnico da seleção brasileira Dunga.
O jogo terminou 6 a 3 para o time de 2006. Valdomiro, Dadá Maravilha e Jair marcaram para os craques colorados. Bolívar, Rentería, Iarley, Tinga, Enzo e Adriano Gabiru para o time de 2006. No final da partida a torcida invadiu o campo e comemorou juntamente com os ex jogadores.
O Jornal do Comércio conversou com alguns torcedores presentes na partida comemorativa e fez a seguinte pergunta: um jogo comemorativo em meio à fase ruim do Internacional incentiva o atual time a querer vencer?

Érico Sawabe, 33 anos, cientista de computação, e Otavio Acosta, 33 anos, cientista de computação

Ao final do jogo comemorativo, torcida invadiu o campo para comemorar os 10 anos do título

Ao final do jogo comemorativo, torcida invadiu o campo para comemorar os 10 anos do título


Ricardo Duarte/Inter/Divulgação/JC
Erico: Eu acredito que incentiva bastante, com essa celebração lembra muita história do inter na qual a gente foi campeão. Essa comemoração só tem a melhor o ânimo e o ambiente dos jogadores e da torcida em si.
Otavio: Eu acho que incentiva, por que faz doze jogos que o inter não ganha, já tentaram mudar de treinador, mudar o time e não adiantou nada. E a gente espera que possa incentivar um pouco.

Odilon Ribeiro, 52 anos, músico


Melissa Renz/Especial/JC
Eu acho que é um incentivo para o pessoal retornar e vir com mais vontade. Trazer esse pessoal do passado pode ser um incentivo. Muitas pessoas nem viram esses jogadores atuarem. O fato do Inter estar perdendo não vai tirar a nossa história.

Felipe Borges, 24 anos, estudante de publicidade


Melissa Renz/Especial/JC
Com certeza incentiva. Ver caras como Alex, que um dia foi campeão, e lembrar que ele está no time atual traz ânimo e esperança.
Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO