Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 30 de agosto de 2016. Atualizado às 09h51.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

Taxa de desemprego fica em 11,6% no trimestre até julho, revela IBGE

A renda média real do trabalhador foi de R$ 1.985 no trimestre até julho de 2016

A renda média real do trabalhador foi de R$ 1.985 no trimestre até julho de 2016


JOÃO MATTOS/ARQUIVO/JC
A taxa de desocupação no Brasil ficou em 11,6% no trimestre encerrado em julho de 2016, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta terça-feira (30), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou acima da mediana (11,50%) mas dentro do intervalo das expectativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast. Eles estimavam uma taxa de desemprego entre 11,30% e 11,70%.

Em igual período do ano passado, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 8,60%.

A renda média real do trabalhador foi de R$ 1.985 no trimestre até julho de 2016. O resultado representa queda de 3,0% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 175,3 bilhões no trimestre até julho, queda de 4,0% ante igual período do ano anterior.

Desde janeiro de 2014, o IBGE passou a divulgar a taxa de desocupação em bases trimestrais para todo o território nacional. A nova pesquisa substitui a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), que abrangia apenas as seis principais regiões metropolitanas, e também a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) anual, que produz informações referentes somente ao mês de setembro de cada ano.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia