Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 26 de agosto de 2016. Atualizado às 08h40.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Cobre opera em alta, ajudado por dólar fraco e de olho no Fed

Os futuros de cobre operam em alta na manhã desta sexta-feira (26), favorecidos pela desvalorização do dólar ante várias outras moedas e à espera de um discurso da presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Janet Yellen.

Por volta das 6h15min (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,5%, a US$ 4.648,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova Iorque (Nymex), o cobre com entrega para setembro tinha alta de 0,39%, a US$ 2,0845 por libra-peso, às 7h54 (de Brasília).

O chamado índice WSJ do dólar se enfraquece nos negócios da manhã, tornando o cobre mais atraente para detentores de outras moedas.

Os investidores dos mercados de metais aguardam Yellen, que falará a partir das 11h (de Brasília), durante simpósio anual do Fed em Jackson Hole (Wyoming), em busca de sinais da perspectiva de juros nos EUA.

Entre outros metais básicos na LME, o viés era majoritariamente positivo: o alumínio estava praticamente estável, a US$ 1.643,50 por tonelada, mas o zinco avançava 0,9%, a US$ 2.316,50 por tonelada, o chumbo subia 0,6%, a US$ 1.877,50 por tonelada, o estanho também registrava alta de 0,6%, a US$ 18.830,00 por tonelada, e o níquel aumentava 0,3%, a US$ 9.860,00 por tonelada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia