Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de agosto de 2016. Atualizado às 08h13.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Bolsas asiáticas fecham mistas após reação contida à parceria Shenzhen-Hong Kong

As bolsas asiáticas tiveram desempenho misto nesta quarta-feira (17), com as chinesas recebendo sem entusiasmo a confirmação de que os mercados de Shenzhen e Hong Kong terão uma parceria e a japonesa favorecida pela fraqueza moderada do iene ante o dólar nos negócios da madrugada.

Na China, o índice Xangai Composto fechou estável, a 3.109,55 pontos, enquanto o Shenzhen Composto, que abrange empresas com menor valor de mercado, registrou alta de 0,3%, a 2.043,27 pontos.

Ontem, o governo chinês aprovou o lançamento de uma ligação operacional entre as bolsas de Shenzhen e Hong Kong, semelhante à associação criada há quase dois anos entre Xangai e Hong Kong, ampliando a possibilidade de investimentos por estrangeiros no país.

No entanto, a entrada de recursos diária nas bolsas de Shenzhen e Xangai será limitada a 13 bilhões de yuans (US$ 1,96 bilhão) e muitas empresas listadas em Shenzhen não serão facilmente acessíveis.

Diante disso, muitos analistas mostraram ceticismo quanto à atratividade da nova parceria para estrangeiros, que já aplicam seus recursos nos mercados chineses por meio de esquemas para investidores qualificados.

Em Tóquio, o Nikkei avançou 0,90%, a 16.745,64 pontos, favorecido pelo iene, que reverteu a tendência recente de valorização e caiu moderadamente ante o dólar durante a madrugada. Além disso, o avanço recente do petróleo e especulação sobre novas altas de juros nos EUA impulsionaram ações de petrolíferas e do setor financeiro na bolsa japonesa.

O vice-ministro de Finanças para Assuntos Internacionais do Japão, Masatsugu Asakawa, disse ontem à noite (pelo horário de Brasília) que o governo terá de agir "se houver movimentos excessivamente acentuados" no mercado de câmbio.

Em outras partes da região asiática, o Hang Seng caiu 0,48% em Hong Kong, a 22.799,78 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi recuou 0,20% em Seul, a 2.043,75 pontos, e o filipino PSEi teve baixa de 0,47% em Manila, a 7.946,19 pontos, mas o Taiex mostrou alta marginal de 0,08% no mercado taiwanês, a 9.117,70 pontos.

O clima na Ásia também foi de cautela, à espera da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). No documento, que será publicado às 15h (de Brasília), o Fed poderá dar indicações de quando pretende voltar a elevar juros.

Na Oceania, a bolsa australiana fechou com alta inferior a 0,1% no S&P/ASX 200, a 5.535,00 pontos, apagando perdas de mais de cedo no pregão.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia