Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 16 de agosto de 2016. Atualizado às 18h07.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 16/08 às 18h11min

Bolsas de Nova Iorque caem com realização de lucros, após baterem máximas históricas

Os principais índices acionários de Nova Iorque fecharam em queda nesta terça-feira (16) em um movimento de realização de lucros um dia após baterem máximas históricas conjuntamente pela segunda vez desde dezembro de 1999.
O movimento foi intensificado por declarações de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) reiterando a possibilidade de alta de juros este ano - talvez já na próxima reunião, em setembro.
O índice Dow Jones caiu 0,45%, aos 18.552,02 pontos; S&P 500 recuou 0,55%, aos 2.178,15 pontos, e Nasdaq cedeu 0,66%, aos 5.227,11 pontos.
Há ainda expectativa com a divulgação da ata do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), marcada para esta quarta-feira, 17.
A cautela pressionou ações do setor de telecomunicações, que estiveram entre as de pior desempenho por serem sensíveis a mudanças de perspectiva sobre os juros. As ações da Verizon tiveram um dos piores resultados do dia, com queda de 1,59%.
Após o último rali, alguns investidores começam a ficar receosos com a situação atual, uma vez que os ganhos vieram sem nenhuma alta nos lucros das empresas.
Outros investidores sugerem que o rali pode continuar em meio a falta de opções entre outros mercados por causa da política ultra expansionista de bancos centrais ao redor do mundo, que estão extinguindo os rendimentos em ativos como bônus soberanos.
Para investidores, "o foco parece ser sobre a forte pressão exercida pela política monetária", disse Koen Straetmans, estrategista multi ativos da NN Investment Partners. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia