Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de agosto de 2016. Atualizado às 18h52.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 10/08 às 18h52min

Bolsas de Nova Iorque fecham em queda com recuo do petróleo

As bolsas de valores de Nova Iorque fecharam em queda nesta quarta-feira (10), influenciadas pelo tombo dos preços do petróleo, que pesou sobre as ações do setor de energia. Dow Jones caiu 0,20%, aos 18.495,66 pontos, S&P 500 recuou 0,29%, aos 2.175,49 pontos, e Nasdaq cedeu 0,40%, aos 5.204,59 pontos.
As bolsas norte-americanas mantiveram a tendência de oscilar em um curto intervalo, algo que se arrasta desde o mês passado e que deve continuar nos próximos dias, disse Brad McMillan, executivo-chefe de investimento da Commonwealth Financial Network. "Vai haver bastante oscilação" à medida em que as ações tentam subir, avaliou.
O contrato do barril Brent para outubro fechou com queda de 2,06%, a US$ 44,05, na Intercontinental Exchange (ICE), pressionado por dados do Departamento de Energia (DoE) mostrando uma alta de 1,055 milhão de barris nos estoques de petróleo bruto dos EUA.
O número contrariou a expectativa de recuo de analistas e, combinado com o relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) mostrando que a Arábia Saudita bateu recorde de produção em julho, pesou mais sobre os contratos que a queda 2,807 milhões de barris de gasolina e de 1,951 milhão de barris de destilados, que vieram melhores que o previsto.
Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI para setembro caiu 2,47%, a US$ 41,71 por barril.
O movimento pesou sobre as ações de energia, que lideraram as perdas em Wall Street. Para os mercados, "o preço do petróleo pode se tornar crucial novamente", disse Bjoern Jesch, da Union Investment.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia