Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de agosto de 2016. Atualizado às 18h24.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

08/08/2016 - 18h27min. Alterada em 08/08 às 18h27min

Ouro fecha em queda com contenção da demanda após relatório de emprego dos EUA

Os contratos futuros de ouro fecharam em queda nesta segunda-feira (8), após o relatório de emprego (payroll) de julho dos Estados Unidos, que veio melhor do que o esperado, ter diminuído a demanda pelo metal precioso. O ouro para dezembro negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex) recuou 0,23% e foi a US$ 1.341,30 por onça-troy.
Na sexta-feira (5), o ouro havia registrado a maior queda em um dia desde o fim de maio, após o payroll divulgar que economia dos EUA criou 255 mil empregos em julho, muito acima das expectativas dos analistas, que esperavam alta de 179 mil vagas.
O dado é um sinal sobre a saúde da economia norte-americana e levanta expectativas de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) eleve os juros em breve, o que seria ruim para o ouro.
"É uma narrativa clássica, mas a medida em que o emprego e os juros dos títulos avançam nos EUA, fica mais caro para ter ouro", disse Bernard Dahdah, analista da Natixis.
A demanda por ouro em países como a China e a Índia tem sido fraca, também diminuindo o preço, adicionou Dahdah.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia