Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de agosto de 2016. Atualizado às 17h14.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

comércio exterior

08/08/2016 - 17h14min. Alterada em 08/08 às 17h14min

País fatura menos com exportações de carnes e do complexo soja em julho, diz SRI

O complexo soja exportou 22,6% menos em valor no mês de julho de 2016 em relação a igual mês de 2015, informou nesta segunda-feira, 8, a Secretaria de Relações Internacionais (SRI) do Ministério da Agricultura. A soma dos embarques no mês passado alcançou US$ 3,04 bilhões, ante US$ 3,93 bilhões em julho/2015. Tal redução ocorreu por causa da diminuição de 29,2% no volume embarcado do complexo - de 10,248 milhões de toneladas em julho/2015 para 7,255 milhões de t em julho/2016.
Embarques volumosos, antecipados nos primeiros meses deste ano, além de mercado interno com preço forte da oleaginosa, também podem explicar o recuo nos embarques em julho. Conforme o ministério, a soja em grão continuou a ser o principal produto embarcado, perfazendo 79,7% em faturamento no complexo, ou US$ 2,43 bilhões.
Já a quantidade exportada do grão diminuiu de 8,44 milhões de toneladas em julho de 2015 para 5,79 milhões de toneladas em julho de 2016 (-31,4%). O aumento de 9,7% no preço médio de exportação da soja em grão compensou, em parte, a queda da quantidade exportada no mês. As exportações de farelo de soja e óleo de soja foram de US$ 557,51 milhões (-12,7%) e US$ 61,08 milhões (-13,0%), respectivamente, conforme o ministério.
O setor de carnes (bovina, de frango e suína), o segundo principal complexo exportador do agronegócio no País, também faturou menos (19,6%), ou US$ 1,18 bilhão em julho de 2016, ante US$ 1,464 bilhão em julho/2015. A redução, conforme o ministério, ocorreu em função da queda quase generalizada na quantidade exportada - já que a valorização do dólar no mês passado tornou a proteína brasileira menos competitiva no exterior - e, também, da diminuição do preço médio de exportação.
A carne de frango continuou na primeira posição. Foram US$ 596,36 milhões em exportação (-21,9%), com redução de 19,1% na quantidade exportada e queda de 3,4% no preço médio de exportação. O mesmo comportamento ocorreu com a carne bovina, que registrou retração de 18% no valor exportado, atingindo US$ 408,57 milhões em vendas externas. A quantidade exportada de carne bovina caiu 6,2% enquanto o preço médio de exportação diminuiu 12,6%.
As exportações de carne suína foram de US$ 120,23 milhões (-23,6%), com queda de 3,4% na quantidade exportada e 20,9% no preço médio de exportação.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia