Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 03 de setembro de 2016. Atualizado às 17h08.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Patrícia Knebel

Mercado Digital

Notícia da edição impressa de 01/09/2016. Alterada em 03/09 às 17h12min

Reforço aéreo para agricultura

CLAITON DORNELLES/JC
A agricultura de precisão ganhou um reforço e tanto - e que chega pelos ares: os drones. Os veículos aéreos não tripulados começam a ser usados para garantir que todas as áreas de uma propriedade rural sejam monitoradas. "São tecnologias que permitem enxergar a agricultura não mais pela média, mas por pontos exatos, garantindo o domínio de qualquer o que leva à tomada de ações mais assertivas", explica Paulo Rosa engenheiro agrônomo e consultor do programa Juntos para Competir, uma iniciativa da Farsul, Senar-RS e Sebrae-RS. Os drones sobrevoam as áreas a serem monitoradas e, com uma câmera NVDI, captam imagens tradicionais e também em infravermelho. Ao correlacionar esses dados com os sensores espalhados pelo solo, é possível identificar com precisão, por exemplo, pontos de estresse hídrico da planta ou um foco de praga ainda em estágio inicial. "O drone agiliza muito o processo em relação à inspeção normal, que é feita caminhando pela propriedade. E, com isso, garante o domínio de todos os pontos das propriedades rurais que possam interferir na produtividade", observa Rosa, que também destaca o fato de o Rio Grande do Sul ter diversas empresas desenvolvendo esse tipo de tecnologia. Os drones estão sendo apresentados no Salão do Empreendedor Rural, no Pavilhão Internacional da Expointer.
Menos high tech, mais simplicidade
As soluções de gestão da propriedade rural costumam ser muito high tech e exigem um grande esforço e investimento de implantação, o que acaba afastando os pequenos e médios produtores do mundo digital. Para tentar simplificar isso, foi lançado essa semana, na Casa Rural, o Ruralito. O aplicativo possui uma interface que lembra a de sistemas populares como o Facebook e o WhatsApp. "Essa é praticamente uma ferramenta de inclusão social, pois é gratuita e muito simples de usar, o que facilita muito a adesão", conta André Dorneles, sócio da startup juntamente com o produtor rural Fernando Lorenzini, idealizador do projeto. O app levou 100 dias para ser desenvolvido e permite o contato direto entre produtores para compra e venda on-line. Outras funcionalidades são as que permitem o gerenciamento de rebanhos e lavouras e acompanhamento das tarefas e atividades diárias das propriedades rurais. O app está disponível para Android e deve ser liberado também para iOS até o fim de semana. A Ruralito conta com um apoio de peso: o Sistema Farsul. "Eles estão apostando muito nessa iniciativa e nos levando pela mão para ajudar a apresentar o app ao mercado", relata Dorneles.
Laboratório móvel
A Expointer é a primeira parada do Laboratório Móvel do Lanagro - Laboratórios Nacionais Agropecuários (Lanagro) do Ministério da Agricultura. O trailer equipado com cerca de cinco equipamentos de ponta, que permitem uma série de análises e diagnósticos ligados a agricultura e pecuária, faz a estreia nacional em Esteio. Nesse ambiente é possível fazer análises de soros para avaliar a contaminação por vírus, como a influenza aviária, exames de fertilizantes e até de genes. A ideia é que o trailer seja usado em feiras, aproximando o Lanagro da população.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia