Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 15 de julho de 2016. Atualizado às 14h39.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Crise Política

15/07/2016 - 14h39min. Alterada em 15/07 às 14h39min

Dilma vai ao Planalto para tratar dor de dente

A presidente afastada Dilma Rousseff retornou nesta sexta-feira (15) ao Palácio do Planalto pela segunda vez desde que o Senado decidiu abrir o processo de impeachment contra ela, em 12 de maio. Não foi ali falar com nenhum servidor e muito menos procurar o presidente em exercício, Michel Temer, que desde a noite de quinta-feira (14) está em São Paulo. O que levou Dilma ao Planalto foi uma forte dor de dente.
Preocupada e com receio de precisar refazer um canal a poucas horas de viajar para Teresina (PI), onde à noite participará de mais um ato público "em defesa da democracia", a presidente afastada procurou a dentista Gisele, que sempre a atendeu, no Serviço Médico do Planalto. Ficou ali durante 35 minutos, mas, para sua felicidade, não precisou tratar de canal. Após tirar raio-x, enfrentou apenas uma sessão de limpeza.
"Vocês conhecem alguém que goste de ir a dentista?", perguntou ela, apressada. "Eu confesso que tenho medo".
A primeira vez que Dilma voltou ao Planalto, após 12 de maio, não faz muito tempo. O motivo também foi a dor de dente. No Palácio, o Serviço Médico não está situado no prédio principal, mas no anexo, no bloco ao lado do gabinete da Vice-Presidência da República, onde antes ficava Temer.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia