Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de julho de 2016. Atualizado às 18h19.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

câmara dos deputados

12/07/2016 - 18h19min. Alterada em 12/07 às 18h19min

Bloco da Minoria adia decisão sobre eleição na Câmara

O bloco da Minoria na Câmara ainda não definiu qual candidato irá apoiar na eleição para a presidência da Casa, que acontece nesta quarta-feira (13). O bloco vai se reunir novamente hoje para discutir as propostas dos principais candidatos. A expectativa é de que a decisão só seja divulgada amanhã, dia da votação.
Segundo os deputados que compõem o grupo, o favorito do bloco, composto por PT, PCdoB, PDT, PSOL, e Rede, totalizando 99 parlamentares, é o ex-ministro Marcelo Castro (PI). Ele foi escolhido hoje como candidato do PMDB. A líder da Minoria, Jandira Feghali (RJ), disse que Castro sempre combateu o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). "O centrão e Cunha não queriam a candidatura, mas perderam", disse.
Segundo Jandira, a candidatura do PMDB mudou o cenário e por isso a bancada precisa realizar uma nova discussão. De acordo com ela, os critérios para a escolha de quem o bloco irá apoiar são: a defesa do funcionamento democrático da Casa; que o candidato reconheça a agenda negativa do Planalto; e, de preferência, que tenha votado contra o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff e se posicionado contra Cunha.
Dentro dos critérios, os dois candidatos que se enquadrariam nesses quesitos seriam Castro e Luiza Erundina (PSOL-SP). Porém, a avaliação é de que Erundina tem pouca probabilidade de seguir para o segundo turno. "A dificuldade é reunir tudo isso e passar para o segundo turno", afirmou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia