Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 27 de julho de 2016. Atualizado às 17h52.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

Artigo

Notícia da edição impressa de 27/07/2016. Alterada em 27/07 às 17h53min

Só a política muda a política

Sérgio Turra
O Brasil enfrenta a pior crise política de sua história. As investigações na Petrobras desvendaram um esquema gigantesco, envolvendo dezenas de bilhões e políticos de todos os matizes ideológicos. Com razão, muitos brasileiros perderam a confiança nos homens públicos. No entanto, a transformação desse quadro começa justamente pela política.
Embora essa atividade tenha graves problemas no País, é por ela que se exerce a democracia. Negá-la só beneficia aqueles que querem a manutenção deste lamentável cenário. Quando o povo exerce a cidadania e participa ativamente da política, grandes avanços podem acontecer. Exemplo disso foi o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), processo que só está em andamento porque milhões foram às ruas para expressar sua indignação.
Em outubro, temos a chance de dar mais um passo. Vamos escolher os prefeitos e vereadores para os quatro anos seguintes. Dos entes da Federação, o município é o que está mais próximo de nós. É onde nascemos, crescemos, estudamos, trabalhamos e formamos nossas famílias. Não haverá uma mudança consistente na nação sem que ela comece pelas nossas cidades.
Até a data da eleição, reflita: a sua cidade evoluiu nos últimos quatro anos? O que melhorou? O que precisa ser feito? Quais as principais demandas? Pesquise sobre os candidatos, busque saber do passado e das propostas de cada um. Preste atenção às promessas e aos planos de governo. Converse com seus vizinhos sobre o assunto. Em suma: qualifique o processo de decisão. E, no dia do pleito, faça a escolha mais adequada.
Como disse Carlos Ayres Britto, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal: "A atividade política é a mais importante das atividades humanas". Se queremos um Brasil melhor, temos de exercer a política com consciência. Não há outra saída! A participação de cada um de nós é essencial para o futuro do município em que vivemos - e de todo o País.
Deputado estadual (PP)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia