Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 07 de julho de 2016. Atualizado às 22h43.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Reino Unido

Notícia da edição impressa de 08/07/2016. Alterada em 07/07 às 21h15min

Leadson e May disputarão cargo

Secretária do Interior, Theresa May (d), conseguiu 199 votos, contra 84 de Andrea Leadson, ministra de Energia

Secretária do Interior, Theresa May (d), conseguiu 199 votos, contra 84 de Andrea Leadson, ministra de Energia


CHRIS J RATCLIFFE /AFP/JC
A segunda rodada do processo de escolha do sucessor do primeiro-ministro David Cameron deixou duas mulheres na disputa pelo cargo. A secretária do Interior, Theresa May, e a ministra de Energia, Andrea Leadson, venceram a eleição feita por parlamentares do Partido Conservador, com 199 e 84 votos, respectivamente, eliminando o secretário de Justiça, Michael Gove, que somou 46.
Na primeira rodada de votações, na terça-feira, May já tinha alcançado o primeiro lugar, sendo seguida pela ministra de Energia. "Essa votação mostra que o Partido Conservador pode se unir e, sob minha liderança, ele vai", disse May a apoiadores após o anúncio do resultado.
A disputa agora deve se desenrolar até 9 de setembro, quando os cerca de 150 mil integrantes do Partido Conservador irão escolher o novo residente de Downing Street, a morada oficial do primeiro-ministro britânico. Será a segunda vez na história do Reino Unido que o cargo terá uma mulher no posto. A primeira foi Margareth Tatcher (1979-1990).
A nova primeira-ministra irá lidar com o difícil divórcio entre o país e a União Europeia (UE), além de liderar o Reino Unido na tarefa de reafirmar suas relações exteriores. Cameron afirmou que caberá a seu sucessor invocar o Artigo 50, o mecanismo que inicia formalmente a saída do Reino Unido do bloco.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia