Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 20 de julho de 2016. Atualizado às 20h38.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Greve

20/07/2016 - 20h31min. Alterada em 20/07 às 20h38min

Paralisação de metroviários da Trensurb restringe operação de trens nesta quinta

 FOTOS DAS ESTAÇÕES DO TRENSURB. FUNCIONÁRIOS ESTÃO EM GREVE. A JUSTIÇA DETERMINOU QUE O SERVIÇO FUNCIONASSE NOS HORÁRIOS DE PICO. A DETERMINAÇÃO NÃO FOI ACATADA PELOS GREVISTAS.

Os cerca de 220 mil usuários diários terão o transporte apenas no começo da manhã e da noite


FREDY VIEIRA/JC
Os metroviários da Trensurb vão parar nesta quinta-feira (21). Os trens vão funcionar apenas nos horários de maior movimento, das 5h30min às 8h30min e 17h30min às 20h30min, segundo acerto entre Sindimetrô-RS e Trensurb.
No restante do dia, não haverá o serviço. Diariamente, 220 mil pessoas utilizam o transporte que liga Porto Alegre a cidades da Região Metropolitana, até Novo Hamburgo.  
A paralisação havia sido aprovada na semana passada em assembleia da categoria. Nesta quarta-feira (20), reunião para buscar conciliação entre metroviários e a estatal no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT4), na Capital, acabou não obtendo acordo.   
Na reunião, a empresa propôs apenas aumentar o número de vales-refeição. A oferta será submetida à assembleia dos metroviários na manhã desta quinta-feira no pátio da empresa, na zona norte de Porto Alegre. A categoria quer reajuste de 9,28%, que repõe a inflação do IPCA, mas a estatal ofereceu 8,28%. 
O secretário-geral do Sindimetrô-RS, Vinicius Dias de Lima, disse que mais tíquetes não significa avanço e cobrou que a empresa contrate mais bilheteiros e seguranças.
Segundo o sindicalista, há déficit hoje de 220 seguranças e 100 bilheteiros. O dirigente citou que a direção da empresa alega que um plano federal limitou o quadro total em até 1.045 funcionários, número atual, o que impediria novas contratações.
Em nota, a Trensurb disse que propôs elevar a vales-refeição até 29 tíquetes e o estabelecimento de uma mesa permanente de negociação para análise e qualificação dos processos de trabalho. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia