Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 14 de julho de 2016. Atualizado às 20h52.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

greve

14/07/2016 - 19h25min. Alterada em 14/07 às 20h53min

Servidores do Detran saem de reunião sem acordo de greve

Di Cameli em reunião com os servidores do Detran/RS

Di Cameli em reunião com os servidores do Detran/RS


Orlando Moraes/Ascom/Smarh/Divulgação/JC
Em reunião realizada no final da tarde desta quinta-feira (14), na Secretaria da Modernização Administrativa e dos Recursos Humanos (Smarh), os servidores do Detran/RS votaram a favor da continuidade da greve iniciada na última segunda-feira.
Durante cerca de duas horas, o secretário Raffaeli Di Cameli repisou as informações sobre as dificuldades financeiras do Estado, enquanto o Sindet insistiu nas pautas de melhorias e de qualificação dos serviços da autarquia mediante a justa valorização de seus servidores.
Em relação ao reajuste salarial de 26,75% pretendido pelos servidores do Detran/RS, o secretário da Smarh, anunciou que a posição continua a mesma:
"Não podemos avançar neste ponto quando os outros servidores do Estado estão recebendo seus salários parcelados e estamos no limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal", concluiu o titular da pasta.
Segundo Maximilian Gomes, presidente do Sindet, a categoria esperava mais dessa reunião. "Contávamos avançar muito mais e já estarmos avaliando nossas pautas com o governo, mas os projetos do Detran/RS sequer foram trazidos à mesa de negociação para orientar um possível acordo de greve. Assim, a categoria optou por permanecer mobilizada e à disposição do governo para uma negociação que traga benefícios a todos, principalmente à sociedade", disse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia