Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de julho de 2016. Atualizado às 21h07.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Rio-2016

13/07/2016 - 21h09min. Alterada em 13/07 às 21h09min

Risco de propagação do vírus da zika nos Jogos Olímpicos do Rio é baixo, diz EUA

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos publicou hoje um relatório dizendo que o risco global de que a Olimpíada amplifique a transmissão do vírus da zika é baixo. No entanto, o CDC alertou que os Jogos poderiam levar a doença a países que ele ainda não chegou. As observações do CDC dão suporte à conclusão que a Organização Mundial de Saúde (OMS) chegou no mês passado: não há necessidade de adiamento das Olimpíadas.
A análise do CDC mostra que os visitantes esperados a comparecer aos Jogos Olímpicos, que devem somar de 350 mil a 500 mil, representam menos de 0,25% de todos os turistas que viajaram em 2015 para áreas afetadas pelo zika no mundo.
"A contribuição relativa da Olimpíada é realmente muito pequena", afirmou Martin Cetron, diretor da divisão do CDC que cuida de migração global e quarentena. Além disso, Cetron ressaltou que o Aedes aegypti, mosquito que transmite o vírus, deve estar em baixa durante os Jogos, já que o evento acontecerá durante o inverno.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia