Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 01 de julho de 2016. Atualizado às 08h15.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Ensino Superior

01/07/2016 - 08h15min. Alterada em 01/07 às 08h15min

MEC divulga resultado do Fies do segundo semestre

O Ministério da Educação (MEC) divulgou no fim da noite dessa quinta-feira (30) o resultado dos candidatos pré-selecionados e a lista de espera para contratar o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil).
Os candidatos a uma das 75 mil vagas do programa devem consultar o resultado no site do Fies ou na instituição na qual tenha feito a inscrição. Os pré-selecionados devem concluir a inscrição no SisFies (Sistema Informatizado do Fies) até esta sexta-feira (1).
O ministério também divulgou uma lista de espera, caso haja disponibilidade de vagas após a rodada de oferta. Após a confirmação, o candidato deve validar as informações na Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento da instituição para a qual foi selecionado.
Já os estudantes da lista de espera que forem pré-selecionados deverão concluir sua inscrição no SisFies no prazo de cinco dias úteis.
Segundo o último balanço do MEC, 265.856 candidatos estavam inscritos para concorrer ao benefício até as 18h desta quinta (29). Desde o ano passado, o número de oferta de vagas tem caído.
No primeiro semestre, segundo ministro Mendonça Filho (Educação), foram 147 mil vagas disponibilizadas.
A novidade desta edição é a ampliação da renda mensal bruta per capita de 2,5 para 3 salários mínimos, ou seja, de R$ 2.200 para R$ 2.640, para ter acesso às bolsas do programa. No dia do anúncio, o ministro ressaltou que o objetivo da iniciativa era ampliar o acesso às bolsas de estudos para famílias que também faziam parte do perfil do programa federal, mas que não eram atendidas.
Além de cumprir o critério de renda, puderam se inscrever os candidatos que não tinham concluído o ensino superior, mas que tiveram média acima de 450 pontos no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), a partir da edição do exame de 2010, e nota superior a zero na redação.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia