Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 31 de julho de 2016. Atualizado às 20h38.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

campeonato brasileiro

31/07/2016 - 20h39min. Alterada em 31/07 às 20h40min

Torcedores do Inter depredam o Beira-Rio após nova derrota no Brasileirão

A torcida do Internacional não reagiu bem ao nono jogo seguido sem vitória no Campeonato Brasileiro. Após a derrota para o Corinthians por 1 a 0, neste domingo, no Beira-Rio, houve confusão no entorno do estádio.
Segundo informações da Rádio Gaúcha, houve tentativa de invasão dos corredores onde circulam jogadores e dirigentes. O protesto teria começado no Portão 8. A partir daí, o setor VIP e o acesso aos vestiários teriam sido atacados também.
Carros no entorno do Beira-Rio também foram depredados, segundo a imprensa local. A confusão parou quando a tropa de choque da Polícia Militar foi acionada para dispersar a confusão. O principal nome xingado pelos torcedores foi o do presidente do clube, Vitorio Piffero.
A derrota deixou o Internacional mais distante ainda da briga pelas primeiras colocações. O time colorado, que chegou a ocupar a liderança do Campeonato Brasileiro, hoje está na 13ª posição, mais perto da zona de rebaixamento (apenas três pontos) do que da liderança (12 pontos do Corinthians).
A crise não deixou apenas a torcida irritada. A primeira cabeça a rolar no Beira-Rio foi a do vice de futebol, Carlos Pellegrini. O dirigente entregou o cargo após a derrota para o Corinthians e agora a função será acumulada pelo presidente Vitorio Piffero ao lado de Pedro Affatato e Marcos Marino.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia