Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 05 de julho de 2016. Atualizado às 20h56.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

rio-2016

05/07/2016 - 20h56min. Alterada em 05/07 às 20h56min

Argentina anuncia Olarticoechea como substituto de Tata Martino para o Rio-2016

A seleção argentina de futebol definiu o substituto do técnico Gerardo Tata Martino para os Jogos Olímpicos do Rio, em agosto. Após a demissão do treinador nesta terça-feira, a Associação de Futebol Argentino (AFA) do país agiu rápido e anunciou o nome de Julio Olarticoechea.
A informação foi confirmada pelo secretário de seleções, Víctor Blanco, em entrevista à Fox Sports Radio. Conhecido como "El Vasco", o novo técnico do time olímpico foi campeão mundial com a Argentina como jogador em 1986.
Ele já era técnico do time sub-20, função que assumiu faz algumas semanas. Antes disso, ele estava à frente do time feminino de futebol do país. Olarticoechea também tem experiência como auxiliar técnico das categorias juvenis da Argentina.
Gerardo Tata Martino não aguentou a crise enfrentada após a derrota para o Chile na decisão da Copa América Centenário - o segundo revés consecutivo para o adversário na decisão da competição. Contribuiu também para sua saída o anúncio de Lionel Messi de que não faria mais parte da seleção.
Com isso, o treinador passou a ter dificuldades em conseguir reunir 22 jogadores para completar um time para jogar na Olimpíada do Rio, em agosto. Faltando exatamente um mês para o início dos Jogos Olímpicos, o Tata havia adiado por uma semana o começo dos treinamentos, mas o prazo não foi suficiente para montar uma equipe para representar o país. Dirigentes do Comitê Olímpico Argentino o acusaram de passividade ao deixar a situação chegar a este ponto.
A saída de Martino acontece em um contexto complicado para a AFA. A entidade vive crise sem precedente, com a presidência indefinida e interventores do Executivo do governo, do Judiciário e até da Fifa, que não esconde a preocupação com a situação vivida pela entidade nacional.
Além dos dois vice-campeonatos, Martino levou a Argentina ao terceiro lugar das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018. Em seis jogos, a seleção sofreu apenas uma derrota. A AFA ainda não se pronunciou sobre nomes para substituir Martino no cargo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia