Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 27 de julho de 2016. Atualizado às 18h24.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

27/07/2016 - 19h36min. Alterada em 27/07 às 19h36min

Dólar recua ante rivais após anúncio do Fed

O dólar caiu diante do euro e de algumas moedas de países emergentes nesta quarta-feira, 27, após o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) anunciar que decidiu manter as taxas de juros inalteradas, fazendo com que os investidores reavaliassem suas expectativas para um possível aperto da política monetária nos próximos meses.
O Fed atualizou sua avaliação para o desempenho da economia americana e citou uma melhora no mercado de trabalho, afirmando que os riscos no curto prazo para a perspectiva econômica diminuíram, deixando a porta aberta para uma elevação de juros ainda neste ano.
Mas alguns investidores esperavam uma linguagem mais explícita sobre os próximos passos da política monetária, segundo Sam Lynton-Brown, estrategista de câmbio da BNP Paribas. "Alguns no mercado estavam esperando um sinal direto para uma elevação em setembro", disse.
No fim da tarde em Nova Iorque, o euro avançava para US$ 1,1053, de US$ 1,0989 ontem, enquanto a libra subia para US$ 1,3198 e o dólar avançava para 105,29 ienes, de 104,64 ienes.
A divisa japonesa recua ao passo em que os investidores digerem relatos sobre os planos de estímulos fiscais no país, que informa decisão de política monetária na quinta-feira (horário de Brasília).
Os traders também reagiram a relatos de que Tóquio estava considerando emitir bônus governamentais de 50 anos, um conceito que alguns veem como uma medida similar ao "dinheiro de helicóptero" - imprimir dinheiro para financiar os gastos do governo.
O dólar também caiu contra moedas de países emergentes, que tendem a se beneficiar com uma postura dovish do Fed. Muitos mercados emergentes detêm dívida denominada em dólar e provavelmente serão pressionados quando o BC dos EUA elevar os juros básicos. Taxas mais altas nos EUA tendem a impulsionar o dólar, tornando mais caro o pagamento da dívida. A moeda americana caiu para 14,2758 randes sul-africanos e recuou para 67,076 rupias.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia