Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 27 de julho de 2016. Atualizado às 18h24.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

27/07/2016 - 18h36min. Alterada em 27/07 às 18h36min

Bovespa fecha em alta de 0,12% e passa a acumular avanço de 10,34% em julho

A Bovespa operou em terreno positivo durante todo o pregão nesta quarta-feira (27), e fechou em alta de 0,12%, aos 56.852,84 pontos. A sinalização um pouco mais otimista do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) no que diz respeito a riscos econômicos foi bem recebida, embora tenha tido pouca influência prática sobre os negócios com ações. O Índice Bovespa foi bastante influenciado pelo desempenho das bolsas americanas, mas também refletiu o noticiário corporativo e a forte resistência dos 57 mil pontos.
O final de sua reunião de política monetária, o Fed manteve os juros inalterados, conforme as expectativas. Mas o comunicado divulgado após a reunião apontou menor risco econômico de curto prazo e melhoras na economia local, principalmente no mercado de trabalho. Apesar dessa avaliação, a autoridade monetária não indicou quando poderá retomar as elevações de juros no país. Nas entrelinhas do comunicado, analistas nacionais e internacionais viram uma menor preocupação do BC americano com os efeitos da saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit. Algumas análises passaram a considerar a possibilidade de elevação de juros no país no curto prazo.
Com a agenda doméstica ainda esvaziada, o comportamento das commodities e o noticiário corporativo continuaram a ter grande relevância nos negócios da Bovespa. Depois da alta de 2,9% na véspera, o minério de ferro subiu mais 1% hoje no mercado chinês. Assim, as ações dos setores de mineração, siderurgia e metalurgia estiveram em destaque em todo o mundo. No Brasil, foram elas as principais responsáveis pela sustentação do Ibovespa.
Entre as ações que compõem o índice, as maiores altas foram de Usiminas PNA (+8,88%), Gerdau Metalúrgica PN (+4,51%) e Gerdau (siderúrgica) PN (+4,21%). Vale ON e PNA avançaram 2,71% e 3,36%, respectivamente. Na contramão estiveram as ações da Petrobras, que caíram 1,02% (ON) e 3,11% (PN), acompanhando as fortes perdas dos preços do petróleo nas bolsas de Nova Iorque e Londres.
Entre as empresas que divulgaram balanço trimestral, destaque para Weg ON, que subiu 4,11%. A empresa, fabricante de equipamentos, manteve resultados próximos aos verificados no trimestre anterior, o que foi considerado positivo diante do cenário adverso. No pregão de hoje, foram movimentados R$ 6,96 bilhões, valor próximo da média do mês. Com o resultado desta sessão, o Ibovespa passa a acumular alta de 10,34% em julho e de 31,15% no acumulado do ano.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia