Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de julho de 2016. Atualizado às 00h24.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Comércio Exterior

Notícia da edição impressa de 28/07/2016. Alterada em 28/07 às 00h24min

Dólar alto impulsiona exportações, diz CNI

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou ontem que a mudança do patamar do dólar ante o real aumentou as exportações e reduziu as importações da indústria de transformação. Os dados, que estão no Coeficiente de Abertura Comercial do primeiro semestre deste ano, divulgado pela instituição nesta quarta-feira, mostram ainda que, nos últimos 12 meses encerrados em maio deste ano, o Coeficiente de Exportação - indicador que mostra a participação das vendas externas no valor da produção da indústria de transformação - ficou em 15,8% a preços constantes (excluídos os efeitos de variações dos preços), maior do que os 14,2% registrados em 2015. De acordo com a economista da CNI Samantha Cunha, isso reflete o crescimento das quantidades exportadas pela indústria de transformação.
Os números mostram ainda que a participação dos importados no consumo nacional caiu pelo segundo ano consecutivo. O Coeficiente de Penetração de Importações a preços constantes recuou de 17,2% em 2015 para 16,5% nos 12 meses terminados em maio. "A forte depreciação do real em 2015 - a moeda doméstica depreciou-se 28,8% em termos reais frente ao dólar, em um contexto de desaceleração da demanda doméstica - reforçou o movimento de queda da participação de importados no consumo doméstico", avalia a CNI.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia