Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 27 de julho de 2016. Atualizado às 12h40.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

empresas

27/07/2016 - 11h16min. Alterada em 27/07 às 12h40min

Lucro da Coca-Cola sobe para US$ 3,45 bilhões no 2º trimestre, mas receita recua

Empresa enfrenta fraqueza no exterior, particularmente em países em desenvolvimento

Empresa enfrenta menor demanda em diversos mercados, particularmente em países em desenvolvimento


JOÃO MATTOS/ARQUIVO/JC
A Coca-Cola registrou lucro de US$ 3,45 bilhões no segundo trimestre, ou US$ 0,79 por ação, resultado superior aos US$ 3,12 bilhões de lucro (US$ 0,71 por ação) obtidos em igual período do ano passado. Excluindo certos itens, o lucro por ação foi de US$ 0,60, o que superou a previsão de US$ 0,58 dos analistas ouvidos pela Thomson Reuters.
A receita caiu 5,1% na comparação anual, para US$ 11,54 bilhões, abaixo da previsão de US$ 11,64 bilhões dos economistas. Segundo a empresa, o câmbio foi responsável por uma queda de US$ 0,10 no lucro por ação da empresa no segundo trimestre deste ano. Às 9h03min, a ação recuava 2,21% no pré-mercado em Nova Iorque.
A empresa continuou a enfrentar queda no consumo no exterior, particularmente em países em desenvolvimento. A recessão na Rússia e Brasil e a desaceleração da atividade na China também afetou os resultados da Coca-Cola. O dólar mais valorizado também prejudica a companhia dos Estados Unidos, que gera cerca de metade de suas vendas no exterior, mas converte os resultados em dólares.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia