Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de julho de 2016. Atualizado às 20h51.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

balanços

26/07/2016 - 20h51min. Alterada em 26/07 às 20h51min

Lucro líquido da Telefônica Vivo cai 23,2% no 2º trimestre, para R$ 699,5 milhões

A Telefônica Brasil, dona da Vivo, reportou lucro líquido de R$ 699,5 milhões no segundo trimestre de 2016, montante que representa queda de 23,2% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com balanço divulgado nesta terça-feira (26), pela companhia.
A queda no resultado líquido da Telefônica é explicada principalmente pela provisão de R$ 101,2 milhões para reestruturação organizacional da empresa. A provisão se concentrou na linha de custos com pessoal, que teve alta de 17,5% no trimestre. Sem esta iniciativa, os custos com pessoal teriam subido apenas 5,8%, conforme consta no balanço.
O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) alcançou R$ 3,200 bilhões no segundo trimestre, um crescimento de 3,7% na mesma base de comparação. A margem Ebitda subiu 0,9 ponto porcentual, para 30,5%.
O Ebitda recorrente, por sua vez, totalizou R$ 3,301 bilhões, um aumento de 7,0%. A margem do Ebitda recorrente cresceu 1,8 ponto porcentual, para 31,4%. O resultado recorrente é ajustado pela provisão de R$ 101,2 milhões para reestruturação organizacional no segundo trimestre e pela venda de torres no primeiro trimestre, no montante de R$ 513,5 milhões.
A receita operacional líquida no segundo trimestre totalizou R$ 10,510 bilhões, uma leve alta de 0,8%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia