Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de julho de 2016. Atualizado às 19h44.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

25/07/2016 - 19h45min. Alterada em 25/07 às 19h45min

Dólar recua ante rivais com expectativas sobre reunião do Fed

O dólar recuou diante de seus principais rivais, nesta segunda-feira (25), em um dia de expectativa com as reuniões de política monetária do Federa Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), que acontecem amanhã e quarta-feira. A divisa americana, no entanto, ganhou terreno ante moedas de países ligados ao petróleo.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar recuava para 105,80 ienes, de 106,19 ienes no fim da tarde de sexta-feira, enquanto o euro avançava para US$ 1,0992, de US$ 1,0980 e a libra subia para US$ 1,3132, de US$ 1,3113.
Os investidores não estão esperando mudanças na política monetária do Fed, mas a linguagem do anúncio de quarta-feira será observada de perto, por pistas sobre o ritmo da elevação de juros no futuro.
Além disso, o Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) anuncia sua decisão de política monetária na sexta-feira, e as expectativas são altas pela introdução de novas medidas de estímulo. A alta do iene neste ano atrapalhou os esforços do Japão para impulsionar o crescimento econômico ao pesar sobre a inflação, tornando as exportações japonesas menos competitivas.
Hoje, o recuo do petróleo também afetou as moedas de países cujas economias são associadas à commodity. No fim da tarde o dólar avançava para 1,3225 dólar canadense e subia para 65,459 rublos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia