Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de julho de 2016. Atualizado às 22h34.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 22/07/2016. Alterada em 21/07 às 21h31min

Dólar se fortalece ante o real com preocupações domésticas

As preocupações com o cenário doméstico fizeram o dólar subir frente ao real nesta quinta-feira, contrariando a baixa observada ante divisas de mercados emergentes e ligadas a commodities. De acordo com profissionais de câmbio, o turbulento noticiário corporativo, diante de desdobramentos da crise na Odebrecht, e o mal-estar despertado pelo reajuste salarial de mais de 40% do judiciário elevaram a percepção de risco sobre o Brasil, resultando também em elevação nas taxas dos contratos de proteção contra o risco nacional (CDS, na sigla em inglês). Em um dia de modesto volume de negócios, o movimento interno foi amparado também na acentuada queda nos preços de petróleo e na frustração com medidas adicionais de estímulo no Japão e na zona do euro.
No balcão, o dólar à vista fechou aos R$ 3,2851, em alta de 1,16%. Conforme informações registradas na clearing da BM&F Bovespa, o volume total de negócios somou US$ 1,505 bilhão. Já no mercado futuro, o contrato de dólar para agosto encerrou aos R$ 3,2830 (0,46%), com giro de US$ 12,227 bilhões.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia