Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de julho de 2016. Atualizado às 07h54.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado financeiro

21/07/2016 - 07h56min. Alterada em 21/07 às 07h56min

De olho em estímulos monetários, bolsas asiáticas fecham em alta

As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quinta-feira (21), em meio à crescente avaliação de que grandes bancos centrais em breve tomarão novas medidas para estimular suas economias.
Em Tóquio, o índice Nikkei subiu 0,77%, a 16.810,22 pontos, após notícias na mídia local de que o governo japonês estaria preparando um robusto pacote fiscal no valor de 20 trilhões de ienes (US$ 187 bilhões).
Também há expectativas de que o Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) volte a relaxar sua política monetária, em reunião na próxima semana.
Em outras partes da Ásia, o Hang Seng avançou 0,54%, a 22.000,49 pontos, terminando a sessão no maior nível desde 22 de dezembro do ano passado, enquanto em Taiwan, o Taiex também registrou ganho de 0,54%, a 9.056,56 pontos, o maior patamar em 12 meses, e o filipino PSEi subiu 0,63% em Manila, a 8.102,30 pontos.
Com a valorização de hoje, o Hang Seng voltou para o azul no acumulado do ano. Além disso, o índice de Hong Kong entrou em "território altista", ao avançar mais de 20% desde a mínima atingida em meados de fevereiro.
Na China, os mercados mantiveram o padrão recente de fechar perto da estabilidade, com ligeiro ganho de 0,4% no Xangai Composto, a 3.039,01 pontos, e avanço marginal de 0,1% no menos abrangente Shenzhen Composto, a 2.038,18 pontos.
O movimento na Ásia seguiu o desempenho positivo das bolsas em Nova York ontem, enquanto os investidores acompanham os principais bancos centrais na esperança de que voltem a agir em reação à vitória do chamado Brexit, ou seja, a decisão do Reino Unido de votar por sua saída da União Europeia, em plebiscito realizado há cerca de um mês.
O Banco Central Europeu (BCE) anuncia decisão de política monetária nesta quinta, mas não há previsão de novidades, embora haja a possibilidade de seu presidente, Mario Draghi, sinalizar novos estímulos em setembro.
"As expectativas para bancos centrais são o principal catalisador (dos mercados na Ásia)", comentou Bill Bowler, operador de ações da corretora Forsyth Asia, em Hong Kong.
O bom humor nos negócios asiáticos também foi alimentado por balanços e dados econômicos sólidos divulgados nos EUA nos últimos dias.
Contrariando a tendência majoritária na região, porém, o índice sul-coreano Kospi registrou ligeira baixa de 0,16% em Seul, a 2.012,22 pontos.
Na Oceania, a bolsa australiana subiu pelo segundo dia consecutivo, impulsionada por ações dos setores de saúde e financeiro. O S&P/ASX 200 avançou 0,4% em Sydney, a 5.512,40 pontos, superando a barreira psicologicamente importante dos 5.500 pontos. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia