Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 20 de julho de 2016. Atualizado às 20h32.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

20/07/2016 - 20h36min. Alterada em 20/07 às 20h36min

Bolsas de Nova Iorque fecham em alta, sustentadas por bons resultados corporativos

As bolsas de Nova Iorque fecharam em alta, sustentadas pela publicação de bons resultados corporativos trimestrais que superaram as expectativas.
No final da tarde em Nova Iorque, Dow Jones avançou 0,19%, aos 18.594,96 pontos, com os papéis da Microsoft tendo um ganho de 5,31% após a empresa anunciar, na noite de ontem, que reverteu o prejuízo e reportou lucro líquido de US$ 3,12 bilhões no quarto trimestre fiscal, o equivalente a um lucro ajustado de US$ 0,69 por ação, acima da expectativa de US$ 0,58 por ação dos analistas.
O S&P 500 subiu 0,43%, aos 2.173,01 pontos, impulsionada pelo desempenho do setor de tecnologia. Já o Nasdaq ganhou 1,06%, aos 5.089,93 pontos. O índice, que ficou em baixa a maior parte do ano até agora, está com alta de 1,7% para 2016 e fechou no maior patamar do ano.
Novos recordes históricos estão sendo sustentados por baixas taxa de juros globais, bons resultados das companhias norte-americanas e algumas temeridades ao redor do mundo, como o Brexit e a tentativa de golpe na Turquia, que ajudam a manter a política monetária acomodatícia, disse Nicholas Colas, estrategista-chefe de mercado da Convergex.
O apetite ao risco também foi impulsionado pelo petróleo, que fechou em alta após os dados do Departamento de Energia dos EUA (DoE) mostrarem que os estoques da commodity no país caíram.
Sem dados econômicos divulgados nos Estados Unidos, a divulgação dos balanços corporativos trimestrais dominaram as notícias. Até agora, 14% das empresas listadas no S&P 500 publicaram resultados, tendo 64% superado as expectativas, de acordo com o S&P Global Market Intelligence.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia