Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de julho de 2016. Atualizado às 14h36.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

13/07/2016 - 14h36min. Alterada em 13/07 às 14h36min

EUA entra com reclamação na OMC contra China por tarifas sobre matérias primas

Os Estados Unidos entraram na Organização Mundial do Comércio (OMC) contra a China nesta quarta-feira, acusando o país de não remover tarifas sobre exportações de determinadas matérias primas que deveria ter eliminado há 15 anos atrás, quando foi admitida na entidade.
O anúncio é o mais novo de uma série de disputas comerciais entre os dois países. A China manteve tarifas à exportações variando de 5,0% a 20,0% em produtos como antimônio, cobalto, cobre, grafite, chumbo, magnésio, talco, tântalo e estanho, afirmaram autoridades norte-americanos.
Esses tributos, dados a produtos embarcados para fora da China, tinham como efeito deixar os minerais mais baratos dentro do país, promovendo a manufatura em áreas como eletrônicos e automóveis, ao mesmo tempo em que tornava esses matérias primas mais caras fora da China.
O governo de Barack Obama sublinhou essa preocupação ao levar sua 13ª reclamação na OMC. Além dos casos levados dentro da entidade, os EUA também impuseram dezenas de tarifas punitivas a produtos chineses nos últimos anos, após reclamações da indústria local de que eram alvo de dumping. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia