Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de julho de 2016. Atualizado às 23h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

12/07/2016 - 22h27min. Alterada em 12/07 às 23h48min

Bolsas sobem em Nova Iorque, com Dow Jones e S&P 500 renovando máximas históricas

Os mercados acionários dos Estados Unidos fecharam em alta nesta terça-feira (12), com o índice Dow Jones e o S&P 500 batendo novas máximas históricas, apoiados por um rali nas ações de energia e com ganhos maiores do que o esperado no resultado da Alcoa.
No final das operações em Nova Iorque, Dow Jones encerrou em alta de 0,66%, aos 18.346,98 pontos, marcando seu primeiro recorde em cerca de 14 meses, quando terminou aos 18,312.39 pontos, em 19 de maio de 2015. Os papéis do Goldman Sachs (+3,11%) e da DuPont (+2,65%) lideraram os ganhos.
Já o S&P 500 ganhou 0,70%, aos 2.152,10 pontos, renovando a máxima histórica de ontem. As ações de energia lideraram os ganhos, com destaque para Chevron (+1,32%) e ExxonMobil (+1,13%), com os contratos futuros do petróleo fechando em forte alta.
O índice Nasdaq terminou com avanço de 0,69%, aos 5.022,82 pontos, representando o primeiro fechamento do índice em território positivo em 2016, com um ganho de 0,3%.
Ontem , após o fechamento do mercado, a Alcoa divulgou lucro líquido de US$ 135 milhões (US$ 0,09 por ação) no segundo trimestre de 2016, em contraste com o lucro de US$ 140 milhões (US$ 0,10 por ação) no mesmo período do ano passado, abrindo a temporada de balanços. O resultado veio acima do esperado e gerou otimismo em Wall Street, à medida que os investidores continuam com o bom humor após a divulgação do payroll na última sexta-feira.
Os mercados nos Estados Unidos e na Europa também foram encorajados na segunda-feira pela notícia que Theresa May se tornará a próxima primeira-ministra do Reino Unido, evitando meses de incerteza sobre quem lideraria o país.
O resultado do payroll e uma aparente transição tranquila no Reino Unido em meio ao Brexit estão acalmando os mercados, afirmou Karyn Cavanaugh, estrategista sênior de mercados na Voya Financial.
"Todas as coisas que nos preocupavam não chegaram a se concretizar", disse Cavanaugh. Ela também mantém a esperança de que a temporada de balanços será melhor do que o esperado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia