Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de julho de 2016. Atualizado às 22h25.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

12/07/2016 - 22h26min. Alterada em 12/07 às 22h26min

Dólar recua ante euro e moedas de emergentes em dia de rali do petróleo

O dólar recuou diante do euro e de moedas de países emergentes relacionadas ao petróleo, nesta terça-feira (12), em um dia de alta dos preços da commodity. A moeda americana avançou na comparação com o iene, no entanto, com a perspectiva de novos estímulos na economia japonesa.
No fim da tarde em Nova Iorque, o euro observava ligeiro avanço para US$ 1,1066, de US$ 1,1063 ontem; a libra avançava para US$ 1,3256 de US$ 1,3006; e o dólar subia para 104,81 ienes, de 102,82 ienes, ontem.
Os contratos de petróleo foram influenciados positivamente hoje por previsões de queda na produção da commodity em países que não fazem parte da Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep), bem como pela decisão do Departamento de Energia (DoE) dos EUA elevar o preço médio do Brent e do WTI para o segundo semestre de 2016.
Isso fez com que o dólar perdesse espaço para moedas de países emergentes ligadas às commodities. A divisa americana recuou para 63,833 rublos russos e caiu para 1,3033 dólares canadenses.
A expectativa de que o Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) injete estímulos na economia do país, no entanto, fez a divisa japonesa recuar ante o dólar. O iene é considerado um ativo seguro e geralmente perde valor em sessões de notável apetite pelo risco.
"Expectativas de estímulos por parte de bancos centrais acendem o sinal verde para que os investidores partam para moedas mais rentáveis e arriscadas", disse Omer Esiner, analista da Commonwealth Foreign Exchange.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia