Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de julho de 2016. Atualizado às 15h04.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

12/07/2016 - 15h05min. Alterada em 12/07 às 15h05min

Bolsas da Europa fecham em alta, beneficiadas por recuo das tensões com Brexit

As principais praças europeias fecharam em alta nesta terça-feira (12) impulsionadas pela diminuição das preocupações com os desdobramentos do Brexit após o anúncio de que Theresa May irá suceder a David Cameron na liderança do governo. A sucessão mais rápida do que a esperada deu esperanças de que o processo será abreviado.
"Hoje, o apetite por risco chegou a parecer uma febre", afirmou Joshua Mahony, analista de mercado da IG, lembrando que o índice S&P 500 bateu novas máximas históricas. "Estamos visivelmente num momento em que se espera que as políticas monetárias expansionistas continuem dominando este mês."
O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 1,06%, aos 336,26 pontos. O otimismo também foi visto na cotação da libra, que registrou forte avanço frente ao dólar. Esse movimento, por outro lado, pesou sobre as ações de exportadores britânicos, como a farmacêutica AstraZeneca (-1,76%) e a British American Tobacco (-1,63%). Como resultado, o índice FTSE-100 a encerrou em queda marginal de 0,03%, aos 6.680,69 pontos.
O setor automotivo liderou os ganhos na Europa, com destaque para a Daimler (+4,50%), que divulgou um balanço melhor que o esperado para o trimestre. As ações da rival BMW avançaram 5,40%. Beneficiado por esses desempenhos, o índice DAX da bolsa de Frankfurt subiu 1,33%, aos 9.964,07 pontos.
Em Milão, o índice FTSE-Mib subiu 2,83%, aos 16.721,00 pontos, na esteira da recuperação dos bancos italianos. Unicredit avançou 13,45% e Banco Popolare, +6,16%. Em Paris, o CAC-40 teve ganho de 1,57%, aos 4.331,38 pontos, com destaque para ações da Airbus (+4,0%) e da ArcelorMittal (+8,56%).
Em Madri, o índice Ibex-35 subiu 2,42%, aos 8.506,00 pontos. Em Lisboa, o PSI-20 avançou 0,84%, aos 4.590,90 pontos. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia