Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 05 de julho de 2016. Atualizado às 12h28.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

agronegócios

05/07/2016 - 12h14min. Alterada em 05/07 às 12h28min

Banco do Brasil anuncia R$ 101 bilhões em recursos para safra 2016/17

A Conab salienta que a queda se deve principalmente ao milho segunda safra, fortemente prejudicado pela seca do mês de abril

Na agricultura empresarial, o volume de recursos será de R$ 61,1 bilhões na safra 2016/2017


KARINE VIANA/PALÁCIO PIRATINI/JC
O Banco do Brasil (BB) anunciou na manhã desta terça-feira (5) que disponibilizará R$ 101 bilhões para a safra 2016/17, iniciada em 1º de julho. Segundo a instituição, desse total, R$ 10 bilhões serão direcionados a empresas da cadeia do agronegócio e R$ 91 bilhões em crédito rural a produtores e cooperativas, segmento em que haverá incremento de 10% em relação ao valor desembolsado na safra anterior.
Na avaliação do presidente do Banco do Brasil, Paulo Rogério Caffarelli, o BB, como o principal agente financeiro do agronegócio, detém 61% de participação no crédito rural. "Nossa carteira de crédito do agronegócio teve crescimento de 10% nos últimos 12 meses, mesmo com cenário de adversidade", afirmou, durante o lançamento dos números para a safra 2016/17.
Do total de recursos para produtores e cooperativas, R$ 71,1 bilhões se referem a operações de custeio e comercialização e R$ 19,9 bilhões são específicos para créditos de investimento agropecuário. Destaca-se que 93% dos recursos apresentam taxas de juros controladas.
O banco anunciou ainda que o volume de recursos para a agricultura familiar passou de R$ 13,5 bilhões na safra 2015/2016 para R$ 14,6 bilhões na safra 2016/2017, um aumento de 8%. Para os médios produtores, o volume passará de R$ 14,3 bilhões para R$ 15,3 bilhões na safra 2016/17, um aumento de 7%. Na agricultura empresarial, o volume passará de R$ 54,5 bilhões na safra de 2015/2016 para R$ 61,1 bilhões na safra 2016/2017, registrando 12% de incremento.
Durante o anúncio, o Banco do Brasil destacou que o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp)aumentará o volume de crédito em 7% em comparação ao valor desembolsado na safra 2015/16, destinando R$ 15,3 bilhões nesta safra, como forma de continuidade à política de apoio ao Médio Produtor Rural.
Outro destaque foi no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), onde o BB estima aplicar R$ 14,6 bilhões. Segundo o banco, este volume representa um aumento de 8% sobre o valor realizado na safra anterior. Para o Pronaf Mais Alimentos, a linha de crédito para investimento terá R$ 6,2 bilhões para financiamentos na safra 2016/17.
De acordo com a instituição financeira, o ABC - Programa Agricultura de Baixo Carbono - para a safra 2016/2017 tem como projeção a destinação de R$ 2,2 bilhões em financiamentos a essa finalidade.
Para Armazenagem, o banco diz demonstrar apoio creditício ao melhoramento da infraestrutura do País e da capacidade estática da armazenagem, e deverá aplicar R$ 1 bilhão por meio do Programa de Construção e Ampliação de Armazéns (PCA) na safra 2016/17.
O programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (Inovagro), o banco projeta financiar R$ 1 bilhão na safra 2016/17. Já no Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota) o Banco do Brasil estima aplicar R$ 3,8 bilhões para operações de investimento. Para as Empresas do Agronegócio, o Banco do Brasil disponibiliza R$ 10 bilhões.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia