Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de julho de 2016. Atualizado às 10h06.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

aviação

04/07/2016 - 10h06min. Alterada em 04/07 às 10h06min

Azul terá voo entre Porto Alegre e Santo Ângelo ainda no segundo semestre

Marcelo Bento, diretor de Planejamento e Alianças da Azul, disse que a intenção da Companhia é de tornar a rota diária

Bento disse que o começo da operação depende apenas da conclusão de adequações no aeroporto


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Bruna Oliveira
A Azul Linhas Aéreas vai ampliar a operação no Estado, com a ativação da rota de voos entre Porto Alegre e Santo Ângelo prevista entre setembro e outubro. A definição da data, segundo o diretor de Planejamento e Alianças da Azul, Marcelo Bento, depende apenas de adequações finais no aeroporto do município nas Missões.
A oferta da ligação foi confirmada por Bento durante a cerimônia de inauguração do voo direto entre a Capital e Montevidéu, que ocorreu na sexta-feira (1) passada no terminal 2 do Aeroporto Internacional Salgado Filho. Com mais esta opção, subirá para 15 os destinos da empresa a partir do Salgado Filho, entre nacionais e internacionais. Hoje são 35 voos diários. A empresa informou que solicitou a autorização para retomar os voos entre Porto Alegre e Punta del Este, também no Uruguai, no próximo verão.  
No interior gaúcho, a Azul já opera Santa Maria, Pelotas, Passo Fundo, Caxias do Sul e Uruguaiana. Passo Fundo volta a ter voos diretos a partir de 29 de agosto.  
Fora do Rio Grande do Sul, a expansão da empresa ocorre com a inauguração nas últimas semanas de voos para Lages, em Santa Catarina, e Sorriso, no Mato Grosso. Além dos voos internacionais para Montevidéu, a companhia estreou a rota para Lisboa, partindo de São Paulo. "Com a concretização desses últimos, ainda é muito cedo para pensar em novos destinos", diz Bento. Mesmo assim, o diretor admite que o momento pode ser propício à ampliação da sua malha.
Ao dar início a operações internacionais, em 2015, a Azul abriu a possibilidade para atuar em mercados mais rentáveis. A empresa acredita que há demanda para viagens para fora do País a ser explorada, além do fortalecimento do aeroporto de Viracopos, em Campinas, que é seu principal hub. 
A recente baixa da moeda norte-americana, que impulsiona as viagens, é comemorada por Bento. "Cada centavo de dólar que cai na cotação a gente comemora. O dólar alto é bastante desafiador, e quando ele cai a gente respira aliviado."
Sobre a intenção do governo federal de ampliar a participação de capital estrangeiro nas aéreas brasileiras, Bento diz que a Azul ainda espera uma definição para se posicionar, mas diz que, por enquanto, "a empresa não tem nada contra, nem a favor".
Na semana passada, o Senado chegou a aprovar a Medida Provisória que autoriza o aumento do limite nas participações de 20% para 100% do controle, mas o presidente interino Michel Temer deve vetar a alteração mantendo o limite de 20%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia