Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 20 de julho de 2016. Atualizado às 21h38.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Notícia da edição impressa de 21/07/2016. Alterada em 20/07 às 17h48min

Ninguém segura o Uber

Marco Stail
Se tivesse sido lançado há pelo menos 20 anos, o Uber provavelmente teria sido uma das grandes invenções do século XX. Como é mais recente (fundado em 2009, nos Estados Unidos) e concorre com tantas novidades lançadas quase que diariamente, pode-se citar como um dos destaques da década 2010, sem que isso diminua a sua originalidade e relevante contribuição para a quebra de mais um paradigma da sociedade contemporânea.
O modelo de negócio é disruptivo, apesar de bastante simples: um aplicativo de smartphone que cobra 25% sobre o valor de cada transação para conectar prestadores de serviço de transporte particular a usuários que possuam cartão de crédito e demandam deslocamento em grandes metrópoles, ávidos por experimentar um nível de serviço diferenciado a um preço justo.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia