Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 29 de junho de 2016. Atualizado às 21h46.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

novo governo

29/06/2016 - 21h46min. Alterada em 29/06 às 21h46min

Kassab: recuperação judicial da Oi não poderá contar com recursos públicos

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação, Gilberto Kassab, afirmou que a operadora Oi não poderá contar com a destinação de recursos públicos no âmbito do seu processo de recuperação judicial. "Todos nós torcemos para que questão seja bem resolvida. O governo dará todo o apoio possível, mas esse apoio não poderá ser entendido como qualquer ação para beneficiar a concessionária", afirmou nesta quarta-feira (29). "Estamos na expectativa de deferimento por parte do juiz, e depois, das negociações", completou.
As declarações foram dadas a jornalistas poucos minutos antes de a Justiça do Rio de Janeiro deferir o pedido de recuperação da Oi, enquanto o ministro visitava o Congresso realizado pela Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA), na capital paulista.
Kassab também minimizou a ocorrência, neste momento, de possíveis interrupções nos serviços da Oi por conta de problemas de caixa. "Não vemos risco de descontinuidade. Não vou dizer risco zero, mas a Anatel vem nos passando bastante tranquilidade em relação à continuidade do serviço prestado. As receitas da concessionária são suficientes para pagar as operações", afirmou.
Durante a entrevista, o ministro disse que tem conversado com as demais operadoras para passar segurança às empresas sobre as condições de atuação e para que "continuem acreditando no Brasil", conforme suas próprias palavras. "Concessionárias que investiram bilhões de reais no Brasil precisam, da nossa parte, muito cuidado nas manifestações porque precisam de segurança para os investimentos que fizeram e que ainda farão."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia