Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de junho de 2016. Atualizado às 18h54.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

crise política

15/06/2016 - 18h47min. Alterada em 15/06 às 18h54min

P-Sol pode entrar com novo pedido de impeachment de Temer com base em delação

O líder do P-Sol na Câmara, deputado Ivan Valente (SP), afirmou nesta quarta-feira (15), que o partido deverá protocolar um pedido para que a Procuradoria-Geral da República (PGR) investigue a citação do presidente em exercício, Michel Temer, feita pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado em delação premiada. Segundo Valente, é "bem possível" que a legenda também protocole um novo pedido de impeachment do peemedebista com base nessa citação.
Em sua delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato, Machado listou nomes de 20 políticos que teriam recebido propinas no esquema de corrupção na subsidiária da Transpetro e também o presidente em exercício, Michel Temer (PMDB). Segundo o delator, o peemedebista teria pedido a ele recursos ilícitos para a campanha de Gabriel Chalita (PMDB) à Prefeitura de São Paulo em 2012. Na delação, Machado disse que faria um repasse por meio de uma doação oficial de R$ 1,5 milhão.
"É uma acusação muito grave e que macula ainda mais esse governo. Esse governo está há um mês correndo da polícia", afirmou o líder do P-Sol. De acordo com Ivan Valente, antes de protocolarem o pedido, o assunto deve ser discutido em reunião da bancada. O parlamentar afirma que a bancada também deve discutir um novo pedido de impeachment de Temer com base na delação de Machado. "É bem possível que apresentemos um novo pedido", afirmou.
Atualmente, já tramita na Câmara outro pedido de impeachment de Temer, sob acusação de que ele cometeu crime de responsabilidade ao assinar decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso. Esse pedido de impedimento de Temer foi instaurado por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF), mas líderes de partidos aliados de Temer se recusam a indicar seus representantes para comissão especial que analisará a representação.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia