Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de dezembro de 2016. Atualizado às 15h34.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

impeachment

Notícia da edição impressa de 02/06/2016. Alterada em 27/12 às 16h35min

Defesa de Dilma inclui gravações de Machado

Cardozo alega que pedaladas foram apenas pano de fundo para processo

Cardozo alega que pedaladas foram apenas pano de fundo para processo


WILSON DIAS/ABR/JC
O ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo (PT), protocolou, na noite de ontem, a defesa prévia da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) no processo de impeachment em tramitação no Senado. Dentre os argumentos apresentados, ele alega que as gravações do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado mostram que houve a "intenção visível" de retirar a petista do cargo para barrar as investigações da Operação Lava Jato.
"Continuamos na linha de mostrar a inexistência dos crimes de responsabilidade, aduzindo outros argumentos técnicos e outras ponderações. Sobre as gravações, que todos vocês viram, em várias dessas falas fica claro que o impeachment ocorreu não porque há crimes mas porque havia uma preocupação de vários segmentos da classe política com o desenrolar das investigações da operação Lava Jato", disse.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia