Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de junho de 2016. Atualizado às 23h53.

Jornal do Comércio

Opinião

CORRIGIR

Artigo

Notícia da edição impressa de 23/06/2016. Alterada em 22/06 às 20h33min

Facilite a conversação

Paulo Crepaldi
As redes sociais aproximam as partes, sejam amigos e conhecidos, ou na relação consumidor e marca, e as empresas precisam estar atentas a essa premissa. Hoje, sabe qual é um importante gatilho para tornar as pessoas leais às marcas e às organizações? Uma nova modalidade de posicionamento e comunicação do Marketing, na qual a empresa passa a fazer parte da comunidade de um determinado consumidor, trazendo ideias, expondo momentos, interagindo como se fosse gente como a gente. E essa estratégia pode ser certeira quando a marca empodera o seu cliente, tornando-o uma pessoa mais interessante e que, acima de tudo, está no comando.
Uma pesquisa recente da Deloitte sobre a interação do consumidor com as mídias digitais aponta que 66% das pessoas entre 19 e 32 anos (Geração Millennial) se relacionam no ambiente on-line da mesma maneira como fazem face a face. Ou seja, não basta apenas observar e usar os dados como a maioria das organizações faz. É hora de dar um passo à frente e criar engajamento com o consumidor, despertando sinergias. As marcas precisam deixar seu protagonismo de lado e aceitar seu papel como parte de um todo, mostrando o seu lado humano, e que antes de vender um serviço ou um produto querem doar-se para um relacionamento honesto e fiel.
Dessa forma, histórias fictícias, por exemplo, não são mais atrativas. Pessoas buscam narrativas que irão enaltecer a sua comunidade ou o grupo que se identificam, tornando-as relevantes. Elas querem olhar para uma marca e entender que ela faz parte da sua história de vida, dos acontecimentos e do seu momento. O mundo muda, novas tecnologias aparecem, mas o clichê do Marketing permanece o mesmo, o consumidor está no comando, você gostando ou não!
Diretor da ING Marketing&Training
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia