Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de junho de 2016. Atualizado às 09h21.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

reino unido

24/06/2016 - 09h21min. Alterada em 24/06 às 09h21min

Escócia vota contra Brexit e primeira-ministra diz que país se vê parte da UE

Diante da decisão dos eleitores britânicos de deixar a União Europeia, a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, sinalizou que pode trabalhar pela adesão da Escócia ao bloco europeu. Entre escoceses, o voto pró-Europa venceu por 62%. Analistas políticos dizem que essa possibilidade abriria caminho para a independência do país do Reino Unido.
Dados da Comissão Eleitoral mostram que os escoceses votaram majoritariamente pela permanência no grupo europeu: 62% dos votos foram a favor da UE e 38% pela saída do grupo.
A diferença para o placar nacional - que sinaliza vitória do Brexit por 52% a 48% - já gera reação na principal liderança política da Escócia. "O voto deixa claro que a população da Escócia vê o seu futuro como parte da União Europeia", disse Nicola Sturgeon, que classificou a mensagem das urnas escocesas como "definitiva".
Lideranças escocesas já sinalizavam que, em caso de vitória do Brexit, passariam a trabalhar pela possível associação da Escócia à UE. Isso pode retomar o plano de independência do Reino Unido. Em 2014, escoceses votaram "Não" à separação dos demais britânicos com vantagem de 55,3%.
Sobre esse tema, a escritora Joanne Rowling, mais conhecida como J.K. Rowling, atacou nesta madrugada o primeiro-ministro David Cameron. Pelo Twitter, a criadora da série Harry Potter acusou o político de quebrar duas uniões: a União Europeia que perde o Reino Unido e o próprio Reino Unido que pode perder a Escócia. "Agora, a Escócia procurará a independência. O legado de Cameron será acabar com duas uniões", disse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia