Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 12 de junho de 2016. Atualizado às 20h02.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

12/06/2016 - 20h02min. Alterada em 12/06 às 20h02min

Trump pede renúncia de Obama após massacre em Orlando

Ataque à boate Pulse, em Orlando, deixou 50 mortos e 53 feridos

Ataque à boate Pulse, em Orlando, deixou 50 mortos e 53 feridos


Mandel Ngan/AFP/JC
O pré-candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou neste domingo (12) que o presidente Barack Obama deveria renunciar por ter se recusado a considerar o ataque à boate Pulse em Orlando como um ato de "radicais islâmicos".
O bilionário disse ainda que a pré-candidata democrata, Hillary Clinton, também deve sair da corrida eleitoral caso não se posicione firmemente contra os muçulmanos.
Trump aproveitou mais uma vez para pedir a restrição temporária de muçulmanos estrangeiros nos Estados Unidos, para proteger o país de "ameaças potenciais".
As polêmicas declarações de Trump foram feitas após o Estado Islâmico reivindicar a autoria do ataque e o FBI (a polícia federal dos EUA) confirmar a identidade do autor do massacre, o ex-segurança Omar Mateen, de 29 anos.
A família de Omar é natural do Afeganistão, embora ele já tenha nascido em solo norte-americano. Ele foi investigado pelo FBI em 2013 e 2014, por comentários "inflamatórios" no ambiente de trabalho e por ligações com um suspeito de planejar um ataque a bomba. As investigações foram arquivadas por falta de provas. O ataque à boate frequentada por público LGBT deixou 50 mortos e 53 feridos.
Por sua vez, a campanha de Hillary Clinton adiou o primeiro evento conjunto com o presidente Barack Obama por causa do massacre. O evento ocorreria na quarta-feira, em Green Bay, em Wisconsin. A Casa Branca confirmou o cancelamento. A nova data não foi confirmada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia