Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 30 de junho de 2016. Atualizado às 21h52.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

campeonato brasileiro

30/06/2016 - 21h52min. Alterada em 30/06 às 21h52min

Ponte Preta vence em Recife e Santa Cruz acumula 4ª derrota seguida

A Ponte Preta conquistou uma vitória importante ao bater o Santa Cruz, por 3 a 0, nesta noite, no estádio do Arruda, em Recife (PE), pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Eficiente na marcação e fatal no contra ataque, o time paulista chegou aos 17 pontos, em posição intermediária. Já a equipe da casa acumulou a quarta derrota consecutiva, permanecendo na zona do rebaixamento com apenas 11 pontos, em penúltimo lugar.
O jogo começou aberto, mesmo porque os dois times adotaram o mesmo esquema tático: o 4-3-3. Enquanto os pernambucanos ficaram com dois jogadores - Arthur e Keno - bem abertos, os paulistas tinham Felipe Azevedo e Clayson recuando para ajudar na marcação no meio-campo.
A estratégia da Ponte Preta funcionou melhor, tanto que abriu o placar aos 21 minutos num contra ataque. João Vitor, do meio-campo, lançou William Pottker em velocidade. Ele bateu mascado, mas a bola saiu cruzada e devagar passou pelo goleiro Tiago Cardoso.
Na frente no placar, a Ponte nem sentiu a troca forçada do zagueiro Kadu, machucado, para a entrada de Douglas Grolli. O Santa Cruz não conseguiu se compactar e dava espaços para o time paulista, notadamente, jogando em cima dos erros do mandante. Aos 30 minutos, Reinaldo, de falta, carimbou a trave esquerda de Tiago Cardoso.
O segundo gol saiu aos 38 minutos, quando Lelê perdeu a bola na intermediária e Pottker ganhou em velocidade de Allan Vieira. Na quina da área bateu cruzado por baixo de Tiago Cardoso. Os últimos minutos ainda foram de pressão campineira, que tentou liquidar a fatura em cima dos erros do Santa Cruz, que não ameaçou nenhuma vez.
Na volta para o segundo tempo, o abatido técnico Milton Mendes tentou acertar seu time com duas mudanças. Tirou o experiente Léo Moura para colocar Mário Sérgio e sacou o criticado meia Lelê para a entrada do atacante Wallyson. A Ponte reiniciou atrás na espera do adversário. Correu alguns riscos, a ponto do goleiro João Carlos praticar três boas defesas, a melhor num chute de Grafite à queima roupa aos 21 minutos.
No contragolpe, a Ponte Preta perdeu duas chances, uma com Pottker e outra com Clayson. Mas a terceira foi mortal. Clayson saiu em disparada pelo lado esquerdo em direção à linha de fundo e fez o passe para Pottker no meio da área. Este deu o passe açucarado na direita para Felipe Azevedo fuzilar. Tiago Cardoso tocou na bola, mas não impediu o gol aos 24 minutos.
Depois disso, Milton Mendes abriu mão de se defender tirando o zagueiro Danny Morais para a entrada do atacante Bruno Moraes. Mas já não tinha força na marcação e não conseguia levar a bola ao ataque, principalmente para Grafite, um dos artilheiros do campeonato, com oito gols. Nesta altura, os torcedores já estavam deixando o estádio cabisbaixos.
Os dois times voltam a jogar domingo, às 16 horas. A Ponte Preta recebe a equipe reserva do São Paulo, no estádio Moisés Lucarelli, enquanto o Santa Cruz vai medir forças com o Botafogo em Juiz de Fora (MG).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia