Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de junho de 2016. Atualizado às 19h01.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

rio-2016

28/06/2016 - 18h54min. Alterada em 28/06 às 19h01min

Seleções masculina e feminina conhecem seus adversários do rúgbi no Rio-2016

Seleção masculina enfrentará

Seleção masculina enfrentará Fiji, Estados Unidos e Argentina


CBRu/Divulgação/JC
Os times masculino e feminino do rúgbi do Brasil conheceram nesta terça-feira os seus adversários na fase de grupos dos Jogos Olímpicos do Rio, que será em agosto. O sorteio aconteceu na sede do Comitê Rio-2016 e reuniu representantes da entidade organizadora da Olimpíada, da World Rugby (federação internacional) e da Confederação Brasileira de Rugby (CBRu).
A seleção brasileira feminina integra o Grupo C da competição ao lado de Canadá, Grã-Bretanha e Japão. Já a equipe masculina, que tem o apelido de Tupis, figuram no Grupo A e terão como adversários iniciais Fiji, Estados Unidos e o clássico sul-americano diante da Argentina.
O sorteio definiu três grupos com quatro países cada. Os dois melhores colocados de cada chave e os dois melhores terceiros colocados avançam às quartas de final. As partidas serão disputadas de 6 a 11 de agosto, no estádio Olímpico de Deodoro, na zona norte do Rio.
"É um grupo bem interessante. Tem o Canadá, que é uma potência; a Grã-Bretanha, que temos feitos bons jogos contra; e o Japão, cujo nível técnico é semelhante. É uma boa chave e esperamos sair com bons resultados. Todas as equipes são bem qualificadas e lutaram para estar na competição. Os grupos são competitivos", analisou Edna Santini, destaque da seleção feminina.
No lado masculino, só pedreira de acordo com a comissão técnica. "O Brasil está com Fiji, Estados Unidos, que vem se preparando muito, e a Argentina, que é uma potência sul-americana. Não tem jogo fácil, mas o Brasil está preparado", comentou Daniel Gregg, coordenador-técnico da CBRu.
O rúgbi retorna aos Jogos Olímpicos após 92 anos. O esporte já foi praticado em quatro edições, contudo na modalidade XV, em que 15 atletas de cada lado defendem a sua nação. Em 2016, o rugby Sevens (sete atletas por equipe em campo) será o praticado no Rio-2016.
"Foi um longo caminho até estarmos de novo nos Jogos, agora com a modalidade Sevens. Será um evento fantástico no Rio. Eu estou aguardando este momento e estarei em Deodoro para ver os jogos, torcida e o clima", comentou Bernard Lapasset, chairman da World Rugby. "Um dos esportes de maior crescimento no Brasil e no mundo. Agradeço ao Sami (Arap Sobrinho, presidente da CBRu) o desenvolvimento do esporte no Brasil. Vai ser um sucesso nos Jogos", afirmou Carlos Nuzman, presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB).
Nesta temporada, as seleções feminina e masculina conquistaram bons resultados. As meninas faturaram o 11.º título sul-americano da categoria e ainda participaram de etapas do Circuito Mundial. Já os Tupis foram vice-campeões nos Torneios Viña Del Mar, no Chile, e Roma Sevens, na Itália, e encararam as potências do esporte na Série Mundial.
Confira as chaves do rúgbi nos Jogos do Rio-2016
Feminino
Grupo A - Austrália, Estados Unidos, Fiji e Colômbia
Grupo B - Nova Zelândia, França, Espanha e Quênia
Grupo C - Canadá, Grã-Bretanha, Brasil e Japão
Masculino
Grupo A - Fiji, Estados Unidos, Argentina e Brasil
Grupo B - África do Sul, Austrália, França e Espanha
Grupo C - Nova Zelândia, Grã-Bretanha, Quênia e Japão
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia