Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de junho de 2016. Atualizado às 17h59.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

rio-2016

23/06/2016 - 17h59min. Alterada em 23/06 às 17h59min

Suspenso da Olimpíada, Kuwait cobra indenização de US$ 1 bilhão do COI

Com seu comitê olímpico suspenso e, por consequência, proibido de participar com bandeira própria dos Jogos Olímpicos do Rio, o governo do Kuwait anunciou nesta quinta-feira que vai processar o Comitê Olímpico Internacional (COI) em US$ 1 bilhão. O caso será levado à Corte Arbitral do Esporte (CAS), na Suíça.
Ministro da Informação do Kuwait, o xeque Salman al-Humoud al-Sabah afirmou nesta quarta que "é totalmente inaceitável que o Kuwait seja tratado desta forma injusta e seja barrado das competições internacionais sem que qualquer julgamento apropriado tenha sido conduzido".
O Kuwait está suspenso desde outubro por "interferência governamental" no seu comitê olímpico, mesmo motivo que tirou o país dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. O COI exige que os comitês nacionais filiados a ele tenham governança independente.
Também as federações internacionais de modalidades, como a Fifa, têm a mesma postura. Por isso, o Kuwait está suspenso em 16 esportes, incluindo o futebol. Por diversas vezes os kuwaitianos não demonstraram interesse em reverter essa interferência, mas agora dizem que "demonstraram sincero desejo de cooperar".
Na semana passada, a assembleia nacional do Kuwait aprovou uma lei que proíbe atletas e oficiais esportivos de expressarem suas opiniões. Os atletas que quiserem estar no Rio-2016 terão que competir sob a bandeira do COI.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia