Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de junho de 2016. Atualizado às 20h16.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

28/06/2016 - 20h16min. Alterada em 28/06 às 20h16min

Petróleo sobe com melhora do mercado e possibilidade de greve na Noruega

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta na sessão desta terça-feira, 28, com o mercado apresentando maior apetite por risco após dois dias de quedas intensas devido à decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia. Além disso, os investidores observam os sindicatos dos trabalhadores do setor de óleo e gás da Noruega, que ameaçam entrar em greve.
O WTI para agosto, negociado em Nova Iorque, fechou em alta de 3,28% (+US$ 1,52), aos US$ 47,85 por barril. Já o Brent para o mesmo mês avançou 3,01% (+US$ 1,42), fechando aos US$ 48,58 por barril.
Os mercados se estabilizaram na sessão de hoje, com as bolsas fechando em alta, estimuladas por investidores que procuravam barganhas. Com isso, os ativos de risco como um todo subiram, enquanto os investimentos considerados seguros foram deixados de lado.
Hoje os investidores também ficaram atentos à oferta de petróleo, que pode ser reduzida caso os trabalhadores do setor de energia da Noruega entrem em greve a partir do próximo sábado. Eles estão exigindo aumento de salário antes da meia noite do dia 1º de julho.
Além disso, dados semanais sobre os estoques de petróleo nos Estados Unidos serão divulgados amanhã e espera-se que haja queda de 2,4 milhões de barris. Há pelo menos dois anos o mercado de energia está saturado de petróleo, e isso tem derrubado os preços dos barris.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia