Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 27 de junho de 2016. Atualizado às 19h59.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

telecomunicações

27/06/2016 - 19h59min. Alterada em 27/06 às 19h59min

Oi diz estar preparada para responder à ação de falência movida na Holanda

A Oi informou por meio de comunicado aos acionistas e ao mercado em geral que está preparada para tomar todas as medidas cabíveis, inclusive na Holanda, para se proteger contra pedido de insolvência protocolado na corte holandesa pelo Syzigy Capital Management, filial do fundo abutre Aurelius, contra sua subsidiária holandesa, Oi Brasil Holdings Cooperatif.
Ainda assim, a companhia informa que, apesar da ação tomada na Holanda, pretende continuar a ingressar em "discussões construtivas" de uma reorganização com a maioria dos seus credores no contexto do processo de recuperação judicial das Empresas Oi no Brasil. "A Oi pretende empreender todos os esforços apropriados para buscar assegurar a proteção dos interesses das Empresas Oi e de todos os seus stakeholders", diz o comunicado.
A companhia afirma ainda que "não espera que haja impactos sobre o processo de recuperação judicial em curso no Brasil". A Oi afirma considerar tal medida "agressiva" e diz que se trata de um titular minoritário de bônus, detentor de US$ 800 mil desses papéis emitidos pela Oi Brasil Holdings.
No mesmo comunicado, a Oi reitera informação que foi divulgada pela empresa no dia 22, de que a Oi e subsidiárias, inclusive a Oi Brasil Holdings, obtiveram junto à Justiça brasileira, por meio de liminar, proteção contra execuções em seu pedido de recuperação judicial. "Além disso, cortes do Reino Unido e dos Estados Unidos também concederam reconhecimento e tutela provisória protegendo certas Empresas Oi de ações de credores em tais jurisdições", acrescenta a companhia.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia