Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de junho de 2016. Atualizado às 18h20.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

23/06/2016 - 18h20min. Alterada em 23/06 às 18h20min

Bolsas de Nova Iorque fecham nas máximas, em dia de plebiscito e apetite pelo risco

As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam nas máximas nesta quinta-feira (23), em um dia de notável apetite pelo risco, em que os investidores aguardam os resultados do plebiscito que decide o futuro da relação entre o Reino Unido e a União Europeia.
As pesquisas mostraram uma corrida acirrada entre o Brexit - apelido de uma eventual desvinculação do Reino Unido - e o Bremain (permanência do país na UE). Mas alguns levantamentos divulgados hoje indicaram que os apoiadores do Bremain estão em maior número do que os favoráveis ao Brexit. A Bookmakers ainda indicou uma probabilidade de 76% de um voto pela permanência.
Cerca de 46,5 milhões de pessoas estavam aptas a votar no plebiscito, que deve apresentar seus primeiros resultados na madrugada desta sexta-feira. Segundo operadores, grandes players de mercado contrataram suas próprias pesquisas e apostaram fortemente na manutenção do país na UE.
O bom humor generalizado favoreceu os ativos considerados mais arriscados, como ações. Além disso, O número de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos registrou queda de 18 mil na semana encerrada em 18 de junho, para 259 mil, no cálculo com ajustes sazonais, o menor nível desde abril, segundo pesquisa do Departamento de Trabalho. O resultado é um sinal de que o mercado de trabalho está mostrando mais resiliência depois de uma desaceleração em maio.
O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial dos EUA também deu apoio aos índices, e subiu a 51,4 na leitura preliminar de junho, de 50,5 na final de maio, e melhor que a estimativa, de 50,4.
Como resultado, todos os índices acionários de Nova Iorque fecharam nas máximas. O Dow Jones ganhou 230,24 pontos (1,29%) e fechou aos 18.011,07 pontos; o S&P 500 subiu 27,87 pontos (1,34%), para 2.113,32 pontos; e o Nasdaq avançou 76,72 pontos (1,59%), e encerrou o pregão aos 4.910,04 pontos.
Todos os setores observaram ganhos. Entre as companhias que apresentaram os melhores desempenhos estão o Bank of America (3,16%), a Macys (1,74%), e a livraria Barnes & Noble, que viu seus papéis avançaram 7,85%.
Em seu primeiro dia de negociações, a empresa de tecnologia Twilio mais que dobrou seu valor de mercado e ganhou 91,93%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia