Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de junho de 2016. Atualizado às 18h21.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

22/06/2016 - 18h21min. Alterada em 22/06 às 18h21min

Ibovespa interrompe sequência de altas e cai 1,34%

Depois de ter subido durante cinco pregões consecutivos, a Bovespa rendeu-se à cautela com o plebiscito que decidirá sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia e fechou em queda de 1,34%, aos 50.156,30 pontos, nesta quarta-feira (22). A bolsa chegou a subir até 0,79%, mas inverteu a tendência à tarde, apoiada na fraqueza das bolsas americanas e na queda significativa dos preços do petróleo, em meio à divulgação de novas pesquisas de intenção de voto no Reino Unido.
A expectativa de permanência do Reino Unido na UE ainda foi alimentada em alguns mercados, com investidores influenciados por pesquisas divulgadas após a morte da deputada trabalhista Jo Cox, na semana passada. O índice FTSE-100, da bolsa de Londres, teve alta de 0,56%. Duas pesquisas divulgadas hoje, no entanto, mostraram empate técnico entre as intenções de voto para o Brexit (saída do Reino Unido da União Europeia) e para o Bremain (permanência do Reino Unido na União Europeia). Os dados alimentaram a incerteza e aumentaram a cautela do investidor estrangeiro. As bolsas de Nova York, que subiram pela manhã, inverteram a tendência à tarde e determinaram a trajetória de baixa da Bovespa.
Outro fator que pesou negativamente para a bolsa foi a queda dos preços do petróleo nas bolsas de Nova Iorque e Londres. A commodity caiu 1,44% na Nymex e 1,46% na ICE. As ações da Petrobras, que pela manhã resistiram fortemente à queda do petróleo, acabaram sucumbindo à tarde. Ao final dos negócios, Petrobras ON e PN cederam 2,43% e 1,99%, respectivamente, ambas fechando na mínima do dia.
A queda da bolsa não foi maior devido ao desempenho das ações de mineração e siderurgia, que andaram na contramão do mercado, animadas pela alta das commodities metálicas. As ações da Vale sustentaram forte valorização, terminando o dia em alta de 1,60% (ON) e de 2,49% (PNA). Bradespar PN, acionista da Vale, registrou ganho de 1,44%. Gerdau Metalúrgica PN avançou 2,54%.
Entre as ações que fazem parte do Ibovespa, os destaques de baixa ficaram com empresas exportadoras, que reagiram negativamente à queda de 1% do dólar. Entre elas estiveram JBS ON (-4,53%), Fibria ON (-4,20%) e BRF ON (-3,71%). Foram movimentados hoje R$ 6,48 bilhões, dentro da média de junho (R$ 6,5 bilhões).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia