Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de junho de 2016. Atualizado às 18h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

15/06/2016 - 18h43min. Alterada em 15/06 às 18h43min

Ibovespa fecha em alta de 0,55% em dia de volatilidade

Em um dia marcado pela volatilidade, a Bovespa alternou altas e baixas e terminou esta quarta-feira (15), com ganho de 0,55%, aos 48.914,74 pontos. O cenário político voltou a trazer alguma preocupação aos investidores, mas o principal foco de atenções foi mesmo o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) e a fala "dovish" (suave) de sua presidente, Janet Yellen. A bolsa brasileira movimentou R$ 15,364 bilhões, inflados pelos R$ 3,774 bilhões do exercício de opções sobre o Ibovespa.
O Fed manteve inalteradas as taxas de juros da economia norte-americana e divulgou uma série de estimativas para a economia local. Na sequência, Janet Yellen concedeu entrevista coletiva. A interpretação predominante entre os analistas é de que o Fed não está com pressa para elevar os juros e deve continuar a observar indicadores econômicos e americanos e globais antes de iniciar um aperto monetário gradual. Embora Yellen não tenha descartado uma elevação de juros na reunião de política monetária de julho, as estimativas do mercado para uma alta nessa data foram drasticamente reduzidas.
O discurso suave da presidente do Fed teve efeito positivo, mas limitado nos mercados de renda variável. A Bovespa acelerou os ganhos, mas esbarrou na virada das bolsas americanas para o terreno negativo, no final dos negócios. A alta do Ibovespa foi sustentada principalmente pelas ações dos setores de mineração, siderurgia, metalurgia e petróleo, que recuperaram parte das perdas recentes, mesmo em meio à queda das commodities. Petrobras ON e PN avançaram 1,53% e 2,53%, respectivamente. Vale ON (+2,53%) e Vale PNA (+3,22%) também se destacaram.
O cenário político doméstico foi forte fator de volatilidade para o mercado de ações, mas teve efeito bastante pontual. Notícia sobre a homologação da delação premiada do ex-presidente da Transpetro Sergio Machado, incluindo o nome do presidente em exercício Michel Temer, chegou a derrubar a Bovespa para o terreno negativo após as 14h. O Ibovespa chegou a tocar a mínima de 48.324 pontos (-0,67%), até que os investidores assimilaram que a notícia não continha novidades em relação ao que já havia sido revelado em gravações.
Com o resultado de hoje, o Ibovespa passa a contabilizar alta de 0,92% em junho e de 12,84% em 2016.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia