Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 07 de junho de 2016. Atualizado às 17h46.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura

07/06/2016 - 17h46min. Alterada em 07/06 às 17h46min

Desaceleração do mercado de securitização deve promover fusões no setor, diz Fitch

A agência de classificação de risco Fitch prevê que a desaceleração do mercado de securitização no Brasil, associada a altos custos operacionais e baixa rentabilidade, pressionará as menores empresas do setor a deixar o negócio ou buscar uma fusão com competidores maiores.
A solução de se fundir com outras empresas, no entanto, tornaria o setor ainda mais concentrado. Segundo a Fitch, três das cerca de 30 companhias atuantes no Brasil são responsáveis por quase 60% do mercado de títulos lastreados em hipotecas - os certificados de recebíveis imobiliários (CRIs).
"Acreditamos que o risco operacional da emissão de CRIs pode aumentar se as empresas menores não conseguirem manter suas equipes de trabalho e os sistemas para controlar e monitorar as emissões já existentes", apontou a Fitch.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia